Durante muito tempo o Curso de Direito da UFSM destacou-se pela sólida formação técnica, marcada pelo dogmatismo, em que o direito era tomado, prioritariamente, a partir dos códigos. Como conseqüência disso, a atuação profissional do egresso dava-se, precipuamente, nas carreiras públicas, notadamente Magistratura, Ministério Público e áreas afins. Embora as carreiras públicas ainda se apresentem como uma forte opção para o corpo discente no momento do seu ingresso nesta Instituição, vislumbra-se que aos poucos começa a se construir um outro panorama, em que os acadêmicos sinalizam para outras áreas e centros de interesse.

Esta nova postura emerge de um influxo de duas forças que ainda convivem no Curso de Direito: de um lado o ensino tradicional, voltado para a formação jurídica dentro do padrão oitocentista, dominado pela dogmática jurídica clássica; de outro, os novos ventos que sopram sobre o ensino jurídico, fazendo com que docentes e discentes percebam o fenômeno social de forma diferente, acolhendo e se sensibilizando pelas demandas apresentadas pela sociedade brasileira.

Neste contexto, em que estas forças aparentemente antagônicas desenvolvem uma complexa dialética, descortina-se aos graduandos a possibilidade de criação de novos espaços para atuação profissional, desbordando as carreiras inicialmente perseguidas. Neste sentido, há significativo número de egressos da UFSM procurando cursos de pós-graduação, o que sinaliza para um maior interesse pelas atividades de pesquisa científica e docência acadêmica, opções que têm oferecido grandes possibilidades de atuação profissional.

Aliado a isso, há considerável aumento de profissionais egressos deste curso que passam a ocupar espaços antes não explorados, em consultorias de associações, assessoria de empresas, órgãos públicos, procuradorias de municípios, entre outros.

A preocupação com as demandas sociais, com a saúde da população, com o meio ambiente, recursos hídricos, com a tutela coletiva de direitos tem sensibilizado os acadêmicos, o que se reflete no aumento do número de profissionais com atuação nestas áreas.

Há que se lembrar, também, que a sociedade globalizada e interdependente possibilita a atuação de novos atores, o que, por conseguinte, abre espaço para novos canais de inserção. Neste sentido, vislumbra-se interesse crescente dos graduandos em direito internacional, o que se reflete na procura recorrente pela realização do Curso de Mestrado em Integração Latino-americana, realizado em parceria pelos cursos de Direito, Economia e História. Percebe-se, desta forma, a comunicação que é feita entre a graduação e a pós-graduação.